Augusto Massi


O Augusto Massi tem uma poesia que lida com os pequenos gestos e objetos. E faz isso com muita intensidade. É o que se pode ver nos seus dois livros já publicados, Negativo, de 1991, e A vida errada, de 2001.

Os versos de Massi dão voz ao que ele, num poema, disse ser a “prosa do dia” e, noutro, a “dispersão dos dias”. É nesse espaço do corriqueiro e do dia-a-dia que a sua poesia sinaliza que o que há de mais frágil por vezes pode ser também aquilo que há de mais comovente. Um exemplo, os beijos que num poema seu são como cigarros acendidos uns nos outros.

É um enorme prazer editar seus novos poemas!

Gabinete de curiosidades, escrito a quatro mãos com a Lu Menezes, tem como tema a manipulação de utensílios que aos poucos entram em desuso. Lançamento em março.

Enquanto isso, uma mostra das capas de seus 2 livros (o primeiro, pela companhia das letras e o segundo pela mini coleção da 7letras, a moby dick), além de dois poemas, dois belos autorretratos em movimento de “A vida errada”.