Grampo Canoa#1: autores


"Foi uma tradução a quatro mãos, um verdadeiro trabalho. Essa colaboração se desenvolveu ao longo de vários anos, talvez uns sete, que correspondem às visitas que eu fazia ao Brasil. Minha mãe dizia: 'você veio ver a gente ou o Haroldo?' Mas também trocamos muitas cartas [...] Viramos uma dupla e lemos juntos várias vezes em festivais de poesia, em colóquios sobre a poesia no cipM [...] Quando ensaiávamos uma leitura, podia acontecer que Haroldo se empolgasse e acrescentasse versos, palavras, desenvolvesse a melodia. A tradução se tornava bem mais longa que o original."

Trechinho da entrevista com a Inês Oseki-Dépré na Grampo Canoa #1 em que ela fala, entre muitos assuntos ligados à tradução, da experiência de tradução para o francês das Galáxias do Haroldo de Campos, publicado lá em 1999.